#6 Opinião - Rango



Dublagem Original:

Johnny Depp (Rango), Isla Fisher (Feijão), Abigail Breslin (Priscilla), Ned Beatty (Prefeito), Alfred Molina (Roadkill), Bill Nighty (Jake).

Direção: Gore Verbinski ("Piratas do Caribe 1, 2 e 3" e "O Chamado - 2002")
Roteiro: John Logan ("O Último Samurai" e "Gladiador")


Quando vi o trailer do filme da Paramount pela primeira vez, numa sessão de cinema, o visual do longa de animação me chamou atenção. Não só pela qualidade da produção como pelo visual nada atraente para o público infantil, os seres mais cascudos do deserto são os personagens da estréia de Gore Verbinski no mundo da animação nas telonas.
Porém, o filme não passou de recursos de imagens quase perfeitos (o que já é muito, é claro), mas criei certa expectativa com relação ao roteiro, que embora satisfatório e divertido, não é a peça chave da obra. "Rango" atinge um público alvo incerto, perdido entre o adulto e o infantil. Essa mistura é boa até certo ponto, mas pode gerar um pequeno desconforto nos menores quando estarão deixando de rir enquanto os pais desfrutam do humor do longa.

A qualidade da trilha sonora só é superada pela forma em que é inserida e músicas altamente conhecidas e clássicas são impostas de forma emocionante nas cenas de perseguição que vão além do gênero Western.

O personagem principal é de longe o animal mais comum do filme. O camaleão de estimação que se perdeu no deserto gostava de ensaiar roteiros de peças de teatro utilizando os objetos ao seu redor, como um peixinho amarelo que vemos em certas partes no filme. Quando o protagonista consegue achar uma cidade com ajuda de Feijão, uma lagarta, ele acaba se metendo em diversas confusões, e numa cena (muito bem realizada) bem comum em filmes de Faroeste (a entrada no Saloon cheio de marmanjos) ele desenvolve a nova fase de sua vida como um homem, ou camaleão, de muita coragem.

Rango será superado, talvez, mas não se vê filmes de animação como esse, pois mesmo com as pequenas falhas de roteiro, a arte visual é de inspirar as animações da própria Pixar!

Um comentário:

  1. Deve ser o protagonista mais feio de uma animação
    Mas não por isso menos simpático, como exige a função
    Um camaleão metido a artista, que não sabe quem é
    Tal qual sua espécie, define: “posso ser quem eu quiser”

    Se depara no meio do nada, “Poeira” é nome sugestivo
    Com conversa fiada vira herói: “matei sete com um tiro”
    Daí parte o enredo, com sede, cheio de confusão
    Divide as atenções com uma caipira, seu par: Feijão

    A água é como petróleo: quem a possui tem poder
    Talvez complexo para um menor de 10 anos entender
    Algumas oscilações entre bom e regular: perdoáveis
    Cenas de ação e perseguição impecáveis, impagáveis

    No original, a voz de Johnny Depp é sem dúvida atração
    É ele quem dubla o principal personagem, o camaleão
    Não por acaso, nos Estados Unidos, é líder de bilheteria
    Em um fim de semana arrecada o dobro do que se esperaria

    Por ser infantil, claro, a lição de moral tem que existir
    Mentira tem perna curta e o herói tem que se redimir
    Adultos que gostam de animação podem ir sem problema
    Só uma sugestão: bebam água antes de entrar no cinema

    http://noticiaemverso.com
    twitter: @noticiaemverso

    ResponderExcluir